Desenvolvimento web

Desenvolvimento de site por R$150,00/Mês

Desenvolvimento Web responsivo com Melhor Custo-beneficio

Planos de desenvolvimento web com hospedagem Gratís
Arquivo de facebook | LCF HOST

Tag: facebook


Uma nova ferramenta para adicionar recursos do Facebook ao seu site

Boas notícias para o empresário das redes sociais: o Facebook facilitou a integração de suas funções sociais em muitos sites. O gigante da mídia social baseado em Menlo Park lançou seu próprio plug-in pré-fabricado para o popular site e ferramenta de blogs , o WordPress.

Com o novo plug-in, chamado Facebook para WordPress , os proprietários de sites podem adicionar botões Like, Subscribe, Send e Recomendações facilmente em páginas não só, mas também em álbuns de fotos e lojas online – adicionando opções adicionais de compartilhamento e engajamento. Uma função chamada Social Publisher publica automaticamente novos conteúdos em um site de volta para a página do Facebook da empresa. Existem também funções Insights, que acompanham a quantidade de atividade que ocorre.

Ao ser apelidado de “o oficial” plug-in do Facebook para o WordPress, esta ferramenta entra em um campo lotado de complementos do Facebook, incluindo o Facebook Connect , o Facebook Tab Manager e os membros do Facebook .

Aqui estão quatro razões pelas quais um negócio pode considerar a integração de recursos do Facebook em sua experiência online:

1. É fácil de adicionar. 
Os sites que funcionam no WordPress devem encontrar o plug-in simples de baixar e configurar a partir dos painéis de controle do WordPress. As opções incluem cor, tamanho e escolha as páginas para colocar links no Facebook.

Para sites que não usam o WordPress, você ainda pode adicionar muitos desses recursos ao seu site. Visite os desenvolvedores.Facebook.com e escolha entre opções semelhantes. O Facebook fornecerá algumas linhas de código para copiar e colar nas ferramentas de edição nas páginas de controle de um site.

2. Obter novos “amigos”. 
Ao adicionar um botão “Curto” ou “Compartilhar” em uma página ou publicação, as empresas estão permitindo que clientes e visitantes compartilhem conteúdo facilmente em suas próprias paredes no Facebook. Esse recurso pode ajudar a espalhar a mensagem de uma empresa mais, mais rápido e ajuda as informações a serem virais.

Considere também usar o recurso de comentários do Facebook. Permite que as empresas evitem discriminadores anônimos e coloca nomes e rostos reais para comentários.

3. Acesse análises mais detalhadas. 
O recurso Insights do plug-in pode fornecer uma dimensão adicional às análises para empresas. As empresas já têm acesso aos dados de log da Web para quantas pessoas visitam seu site e de onde elas são. Mas com a Insights, as empresas podem dizer quantos visitantes realmente “gostam” de uma página.

Por exemplo, postar um álbum de fotos com 100 visualizações pode ser analisado adicionalmente, rastreando qual imagem obtém o máximo de “Likes”. Os dados que você coleciona da Insights podem ajudá-lo a melhorar o envolvimento do cliente com seu site.

4. Mantenha sua marca socialmente relevante. 
O plug-in torna tão simples quanto possível colocar um ícone bem conhecido, como o botão “Curtir” do Facebook na página da empresa. Com mais e mais clientes socialmente conscientes, isso pode ajudar a aumentar a credibilidade adicional em um site.


Campus Party 2018 traz fundador da Apple, discussão sobre bitcoin e batalha de drones

A 11ª edição do evento acontece entre 31 de janeiro a 4 de fevereiro, no Anhembi, em São Paulo; Neste ano, 12 mil pessoas acamparão no local.

Campus Party, o maior evento de tecnologia e cultura nerd da América Latina, levará para São Paulo de discussões sobre a tecnologia por trás do bitcoin e sobre como a tecnologia pode fazer a diferença na sala de aula, além de palestras de peso, como a de Steve Wozniak, que fundou a Apple com Steve Jobs. Uma das novidades neste ano para quem visita a área aberta do evento é a batalha de drones, em que os pilotos tentam derrubar as aeronaves dos rivais

A 11ª edição da Campus Party ocorre no Pavilhão de exposições do Anhembi, em São Paulo, entre 31 de janeiro a 4 de fevereiro. Neste ano, 12 mil pessoas acamparão no local.

A expectativa da organização é que o número de visitantes chegue a 100 mil. A capacidade total de conexão, um assunto sensível para campuseiros, será de 40 Gibabits por segundo. Pela primeira vez, haverá áreas com Wi-Fi e monitoramento para evitar ataques hacker.

“Aqui a gente monta a internet de uma cidade inteira em coisa de um dia”, brincou Franceso Farruggia, presidente do Instituto Campus Party.

Francisco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, durante apresentação da programação 2018 (Foto: Helton Simões Gomes/ G1)Francisco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, durante apresentação da programação 2018 (Foto: Helton Simões Gomes/ G1)

Francisco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, durante apresentação da programação 2018 

Bitcoin e Blockchain

Boa parte da programação de oficinas e palestras da Campus Party será dedicada a discutir o bitcoin, a moeda virtual que passou a chamar a atenção do mundo ao se valorizar mais de 1000% em 2017 e chegar próxima da cotação de US$ 20 mil. Só que o objetivo não será analisar se a criptomoeda enfrenta uma bolha especulativa ou não, debate que dominou o mundo financeiro em 2017.

O foco será a “blockchain”, a tecnologia por trás do bitcoin, que funciona como um livro contábil em que todas as transações com a moeda são registradas de forma segura e confiável. Don Tapscott, um dos principais palestrantes desse ano, subirá ao palco para falar sobre isso. Ele é autor do livro “Blockchain Revolution: How the Technology Underlying Bitcoin is Changing Business, Money and the World” (“Revolução Blockchain: Como a Tecnologia Sustentando o Bitcoin está Mudando Negócios, Dinheiro e o Mundo”).

Boné para tirar sono

Alguns dos eventos são levados à Campus Party por patrocinadores, como Petrobras, Visa, TV Globo e Ford. “Vocês poderiam se perguntar por que uma montadora de 115 anos está aqui. E eu poderia passar o dia inteiro falando disso. A gente veio porque aqui é um celeiro de tecnologia e inovação”, afirmou Fernão Silveira, diretor de comunicação para América Latina da Ford, que vai expor um Mustang 5.0 GT, modelo que a empresa começa a importar agora para o Brasil.

A montadora mostrará algumas de suas tecnologias, como seus serviços conectados para carros e até um boné que faz caminhoneiros que estiverem dirigindo ficarem acordados.

Drones, games e educação

Apesar de palestras e workshops serem feitos em uma área de acesso restrito aos campuseiros, há atividades na área aberta da Campus Party.

Em uma arena ocorrerá o campeonato brasileiro de drones, em que pilotos profissionais usam todas suas habilidades para correr mais rápido que os adversários. Lá também os visitantes do evento poderão participar de duelos de drones. Durante eles, a velocidade fica em segundo plano e o objetivo é derrubar a aeronave dos rivais.

Em outro espaço, ocorrerá torneios de games como “Dragon Ball Z”, “Counter Strike”, “Injustice 2”, entre outros.

Outra novidade de 2018 da Campus Party é uma nova área de atuação: a educação. Haverá oficinas de robótica para crianças e adolescentes e batalhas de robôs virtuais.

Simuladores

Também na área aberta, a Campus Party reunirá 8 simuladores, como asa delta a kart, por exemplo. O destaque fica por conta do MotionSphere, um simulador de sensações vivenciadas por pilotos de aviões super-rápidos. Ele é capaz de imitar acelerações, curvas e impactos de até sete vezes a força da gravidade.

Startups e universidade

Outra área a que os visitantes poderão ir e que já esteve presente em outras edições da Campus é a Startup & Makers. Nela, 120 empresas iniciantes de tecnologia mostrarão como funcionam seus negócios, em busca de parcerias e até de investidores.

Já na Campus Future, estudantes universitários expõem protótipos de novas tecnologias criadas a partir de suas pesquisas.


5 IDEIAS DE NEGÓCIOS DIGITAIS PARA VOCÊ COMEÇAR DO ZERO

Quem não sonha em ter seu próprio negócio e faturar muito dinheiro sem sair de casa? E o melhor de tudo, sem ter que investir muito dinheiro. Muitos brasileiros sonham em deixar de ser assalariado, e os negócios digitais são uma ótima alternativa para tornar esse sonho, realidade.

Pois saiba que a internet oferece várias opções, basta você escolher o negócio que melhor se encaixa no seu perfil. Justamente por isso o meu objetivo no post de hoje é lhe apresentar algumas ideias de negócios online para te ajudar nessa escolha.

VEJA AGORA 5 IDEIAS DE NEGÓCIOS DIGITAIS PARA VOCÊ COMEÇAR DO ZERO

1 # Criação de Blogs

Atualmente esse é um dos negócios digitais mais rentáveis da internet. Você já deve ter visto vários blogueiros de sucesso que ganham muito dinheiro nesse meio. Quantas vezes você já se perguntou como eles conseguem faturar com uma página na internet?

Na verdade, o lucro está nos anúncios exibidos na página. Quando o usuário clica, o webmaster já está ganhando.

Além disso, hoje muitos blogueiros faturam alto promovendo produtos de outras empresas, marcas e até mesmo pessoas comuns, tudo isso através do Programa de Afiliados, conforme veremos mais a diante.

Mas o primeiro passo é buscar um nicho de mercado que seja rentável e que ao mesmo tempo lhe traga satisfação pessoal. Isso porque a motivação é muito importante para conseguir dar sequência as estratégias de marketing digital necessárias para gerar tráfego no blog e ter sucesso no mercado dos negócios online.

Quando falamos em marketing digital, é importante salientar que se trata de um processo que requer planejamento e tempo.

É fundamental que o nicho de sua escolha seja um tema que você tenha certo domínio ou interesse, para que assim essa experiência não seja monótona e cansativa, isso garante maior facilidade para tratar dos assuntos referentes ao blog.

Além disso, é preciso estudar muito o mercado e o público com quem você vai trabalhar no blog. Alguns empreendimentos digitais de sucesso tratam de temas referentes a dieta, fitness, culinária, beleza, negócios, etc.

2 # Criação de Vídeos para a internet

O primeiro passo para montar um bom vídeo é planejar e definir um assunto interessante e pesquisar seus detalhes. O conteúdo precisa ser original e relevante para atrair a atenção do público.

Organize a estrutura do vídeo como se fosse um roteiro de filme, com começo, meio e fim. O ideal é colocar tudo no papel para as ideias ficarem mais claras.

A criação de vídeos para a internet é um dos negócios digitais mais rentáveis atualmente, isso porque os internautas acessam diariamente milhões de vídeos no Youtube. Inclusive esse canal é o mais famoso para expor gravações.

Uma boa dica é ver outros vídeos que tratem do assunto que você deseja abordar.

Observe quais são os mais visualizados e se inspire. Pode ser vídeos engraçados, tutoriais, cursos, etc. Quanto mais criatividade e habilidade você tiver na criação de vídeos, melhor será o desempenho da sua publicação.

Realizar vídeos com imagens e áudio também é uma boa opção para prender a atenção dos visitantes.

Outra tendência em negócios pela internet é desenvolver vídeos institucionais animados para exibir produtos, uma teoria ou um conceito com criatividade e relevância. Para isso basta ter familiaridade com programas de animação para criar bons vídeos de divulgação.

 

3 # Comércio eletrônico

Mais uma ideia de negócios digitais é abrir uma loja virtual para vender algum produto pela internet.

Atualmente existem também Franquias Virtuais que permitem que você tenha o seu próprio negócio com um baixo investimento, como esta que eu fui franqueado e super recomendo Clicando Aqui.

Mas, caso você não pretenda correr o risco de investir em um empreendimento de alto nível, você pode abrir uma loja virtual de forma gratuita.

Primeiro, selecione os produtos que pretende comercializar e desenvolva um catálogo online. Organize as fotos e a descrição dos produtos para tornar a página mais completa e atraente aos usuários.

É essencial oferecer bastante dados sobre o produto e as maneiras de entrega. Seja específico ao determinar o conteúdo da loja para ganhar espaço nesse mercado de comércio eletrônico.

Assim como outros negócios online, trata-se de um mercado competitivo que exige estratégias bem definidas para o empreendedor conseguir alcançar seus objetivos em venda.

Lembre-se de estabelecer um planejamento para conseguir atingir suas metas. Acesse o site da LCF Host para saber mais sobre loja virtuais e Blogs desenvolvimento seguro e profissional clique aqui


O Facebook Live é o teste de anúncios: o que você precisa saber

Os anúncios em vídeo são uma proposta lucrativa para muitas plataformas e o Facebook Live não é exceção. Antes deste ponto, os vídeos do Facebook Live foram visivelmente sem esse estilo particular de receita. Recentemente, no entanto, o Facebook Live começou a testar anúncios em seus vídeos ao vivo.

Esta é uma decisão que tem o potencial de moldar a forma como muitos comerciantes optam por usar os vídeos do Facebook Live no futuro – sem mencionar como eles usam anúncios de vídeo.

Como funcionará o Facebook Live Video Ads?

Uma vez que ainda está em teste e desenvolvimento, não está claro como os anúncios de vídeo do Facebook Live serão, em última análise, funcionando. Mas aqui estão as opções mais faladas atualmente na mesa:

  • O Facebook Live pode ter um breve período de “interrupção comercial” de aproximadamente 15 segundos a uma hora predeterminada pelo programa, quando todos os espectadores assistem a um comercial rápido ao mesmo tempo.
  • Os anúncios devem aparecer aproximadamente cinco minutos ou mais no vídeo , o que significa que eles não interromperão transmissões ao vivo mais curtas ou interferirão com a experiência do usuário.
  • Esses anúncios de vídeo de meio-rolo são uma opção mais provável do que os anúncios inseridos no início dos vídeos porque o CEO do Facebook, Mark Zuckerburg, acredita que os anúncios no início de um vídeo interrompem a experiência do visualizador.
  • Os criadores de conteúdo podem ter a opção de instituir sua própria ruptura comercial , dando a esses criadores a capacidade de acessar um pequeno fluxo de receita durante seus vídeos. Neste momento, um seleto grupo de testadores beta está usando esta opção para inserir essas quebras comerciais em seus vídeos.
  • Os anúncios que visam os espectadores podem aparecer no fluxo de notícias em tempo real durante a experiência do vídeo , permitindo que os usuários reajam a novos produtos ou informações do produto conforme o vêem no vídeo.
  • As marcas podem optar por não ter anúncios exibidos como parte de transmissões ao vivo , optando por se concentrar em locais mais tradicionais para seus anúncios. Algumas marcas apreciam essa opção, já que eles sentem que têm pouco controle sobre onde sua propaganda pode aparecer durante uma transmissão ao vivo.
  • Os editores manterão o controle sobre quais tipos de anúncios aparecerão durante suas transmissões e terão a opção de desativar propagandas para transmissões específicas – se, por exemplo, estiverem discutindo um assunto sensível que não deve ser interrompido por um anúncio.

“#FacebookLIVE está testando #ads, que tem o potencial de moldar a forma como os profissionais de marketing usam vídeos do FB Live”


A ascensão do Facebook ao vivo

O Facebook, no último mês, está trabalhando para melhorar o recurso do Facebook Live, a fim de torná-lo mais acessível a uma variedade de clientes. Ao longo de novembro, o Facebook vem criando anúncios que, com sorte, trarão mais pessoas para experimentar o recurso de vídeo do Facebook Live, incentivando-os a se tornar criativos com ele. Muitos usuários atuais do Facebook são intimidados pelo formato de vídeo ao vivo ou não tem certeza de como funciona. Como o Facebook lança mais informações sobre o recurso, no entanto, o objetivo é mostrar aos usuários como abraçar a diversão e a espontaneidade oferecidas por esta plataforma.

Com a opção de anúncio do Facebook Live  ainda no teste beta, não é um recurso que está atualmente disponível para usuários tradicionais do Facebook. No entanto, é um recurso que espera aumentar significativamente o valor do Facebook Live para anunciantes.

O Facebook Live é uma plataforma relativamente nova, mas é esperado que continue crescendo ao longo dos próximos anos. Agora, o Facebook não determinou se este estilo de anúncio é ou não um que eles vão perseguir a longo prazo, mas definitivamente é uma mudança que vale a pena observar para pessoas de ambos os lados da equação. Se você está olhando para adicionar uma pequena receita para suas opções de vídeo ao vivo ou você é um anunciante interessado em adicionar seus anúncios a vídeos ao vivo, esta é uma mudança de marketing que você não vai querer perder.


10 tendências de mídia social para se preparar para 2018
Poderosas tendências de mídia social que afetam os usuários e as marcas estão se fortalecendo e acelerando.

No ano passado, uma série de histórias significativas envolveu as redes sociais: os usuários atraídos pelo Facebook da Snapchat para o Instagram, o presidente dos Estados Unidos comunicou posições políticas oficiais em 140 caracteres e a Apple anunciou planos para alterar a maneira como interagimos com nossos dispositivos móveis.

No próximo ano, as mídias sociais estão preparadas para criar ainda mais perturbações, uma vez que vários avanços tecnológicos são atualizados e as normas sociais relacionadas à mudança de mídia social. Aqui estão as 10 principais tendências da mídia social para se preparar para os projetos de 2018 próximos.

1. Aumento da realidade aumentada

No primeiro evento hospedado no Steve Jobs Theatre, a Apple anunciou o iPhone 8 e o iPhone X. Ambos os dispositivos incorporam um novo chip que permite que os telefones ofereçam aos usuários experiências extraordinárias de realidade aumentada. Embora a realidade aumentada tenha seu impacto inicial no jogo móvel, é provável que as plataformas de redes sociais encontrem maneiras de incorporar a nova tecnologia também.

Por exemplo, é concebível que o Snapchat ou o Instagram em breve apoiem filtros que permitam que os usuários adotem um selfie com um amigo ou celebridade projetado através da realidade aumentada. Da mesma forma, as marcas poderiam em breve projetar seus produtos nas casas dos usuários de redes sociais através de filtros especiais.

2. Aumento da popularidade de Instagram Stories

Mais de 200 milhões de pessoas usam Instagram Stories a cada mês, que é mais de 50 milhões a mais do que aqueles que usam Snapchat – e Instagram Stories tem apenas um ano de idade! A esta taxa, quase metade de todos os usuários do Instagram estarão usando Stories até o final de 2018. Isso significa que as marcas interessadas em se conectar com os usuários do Instagram devem ter tempo para dominar as Histórias do Instagram .

3. Investimento contínuo no marketing de influenciadores

Mais de 90 por cento dos comerciantes que empregam uma estratégia de marketing de influenciadores acreditam que é bem sucedido. Empresas como North Face, Hubspot e Rolex usam estratégias de marketing de influenciadores baseadas em mídias sociais para se conectarem com novas audiências e melhorar o envolvimento com o público existente.

Este ano vimos que as marcas que optaram por estratégias de publicidade tradicionais lutaram para se conectar a usuários de redes sociais . No próximo ano, é provável que mais marcas adotem marketing influenciado como uma maneira de se conectar com públicos que tendem a ignorar as estratégias tradicionais.

4. Concentre-se na Geração Z

Um estudo recente realizado pela Goldman Sachs concluiu que a Geração Z era mais valiosa para a maioria das organizações do que milenarias. Hoje, o mais antigo Gen Zers tem 22 anos. Eles estão apenas começando a entrar na força de trabalho e terão aumentado o poder de compra por algum tempo.

As marcas começarão a reconhecer isso, e mudarão suas estratégias de mídia social de acordo. Espere grande investimento em plataformas amadas pelo Gen Zers como Snapchat e Instagram.

5. Aumento da participação da marca em plataformas de mensagens

Mais de 2,5 bilhões de pessoas usam plataformas de mensagens globalmente, e ainda assim as marcas ainda estão focadas na conexão com os consumidores em redes sociais puras. Em 2018, espera que as marcas invistam mais tempo e dinheiro na conexão com consumidores em plataformas de mensagens. Inteligência artificial, assistentes de voz e chatbots permitirão que as marcas ofereçam experiências de compras personalizadas em plataformas de mensagens como Messenger, WhatsApp e Kik.

6. Expansão da transmissão ao vivo

O que antes era um novo truque tornou-se uma grande parte das mídias sociais. Hoje, as marcas grandes e pequenas começaram a usar streaming ao vivo para capturar a atenção dos seguidores.

A GORUCK, fabricante de mochilas e organizadora de eventos de resistência extrema, é um exemplo de uma marca de médio porte que cresceu seu alcance por meio de conteúdo convincente no Facebook. Milhares de seguidores sintonizados para assistir uma cobertura de 48 horas de uma recente corrida de resistência .

Em 2018, mais marcas começarão a perceber o poder da transmissão ao vivo e a incorporarão em seus planos mensais de conteúdo.

7. Repensando o Twitter

O Twitter não conseguiu aumentar significativamente os seguidores em 2017. De fato, LinkedIn, Facebook e Instagram têm mais seguidores de redes sociais. Este ano, o Twitter também perdeu o acesso a jogos NFL (Amazon ganhou os direitos ). Em 2018, é provável que a liderança do Twitter tenha como objetivo repensar a forma como a plataforma opera.

As possíveis mudanças no Twitter incluem a venda da empresa a investidores privados, alterando a plataforma para incluir algum elemento de assinatura e / ou renovando opções de publicidade do Twitter, que ficaram por trás de outras plataformas.

8. Hangouts digitais vão mainstream

A Houseparty é uma plataforma de hangouts de vídeo usada por mais de um milhão de pessoas por dia. Ele é utilizado principalmente pelo Gen Zers como uma maneira de sair com amigos digitalmente. A plataforma é tão bem sucedida que o Facebook está investigando maneiras de criar uma funcionalidade similar em sua plataforma.

Já vimos o vídeo tornar-se cada vez mais importante nas redes sociais, e os hangouts de grupos de vídeos ao vivo são uma próxima iteração natural desta tendência. É concebível que, em 2018, o Facebook anuncie um produto similar à Houseparty que vencerá os usuários, assim como a introdução da Instagram em Stories.

9. O Facebook Spaces vai ao mainstream

O Facebook não está apenas interessado em transmissão de vídeo ao vivo; eles trabalharam em um projeto chamado Espaços que foi projetado para permitir que os amigos se conectem no VR. Dado que o Facebook é o próprio Oculus, uma empresa de hardware e software de realidade virtual, não é nenhuma surpresa que o gigante das redes sociais esteja desenvolvendo uma plataforma para usar essa nova tecnologia.

O Facebook está pronto para dimensionar Espaços em 2018. Quando eles fazem, é provável que este seja o primeiro produto de mídia social VR bem-sucedido em escala.

10. As plataformas sociais adotam políticas de governança mais fortes

Após uma série de decisões controversas durante as eleições presidenciais de 2016, as plataformas de redes sociais adotaram uma abordagem mais prática para governar a conduta em suas plataformas. O Facebook recentemente transferiu milhares de anúnciosque parecem estar conectados à intromissão russa, e investiu em novas formas de controle de AI e humanas .

Dada a grande crítica que o Facebook e o Twitter receberam durante 2017, é provável que essas plataformas abraçam códigos de conduta e políticas de governança que protejam as marcas de críticas futuras.

Conclusão

Uma série de novas tendências de mídia social que afetarão os usuários e as marcas estão se fortalecendo e acelerando. É provável que o streaming de vídeo e a realidade virtual irão para o mainstream. Além disso, as marcas se transformarão em plataformas sociais mais recentes, como Instagram e Snapchat, uma vez que o Gen Zers passa cada vez mais seu tempo.

Com o anúncio dos novos iPhones, a realidade aumentada tem a chance de se tornar uma parte das mídias sociais de maneiras inimagináveis ​​apenas alguns anos atrás. Por fim, o Twitter e o Facebook provavelmente ajustarão suas políticas para proteger suas marcas de críticas políticas e fornecer aos usuários melhores experiências online.