Desenvolvimento web

Desenvolvimento de site por R$150,00/Mês

Desenvolvimento Web responsivo com Melhor Custo-beneficio

Planos de desenvolvimento web com hospedagem Gratís
Arquivo de software | LCF HOST

software


Problemas comuns de WordPress e como resolvê-los

Conheça problemas comuns de WordPress e saiba como facilmente resolvê-los através de soluções simples e eficientes.

Todos os dias há perguntas postadas nos fóruns de WordPress sobre alguns dos problemas mais comuns que novos usuários enfrentam. É fácil de instalar e divertido de trabalhar com WordPress e os novos usuários se animam, rapidmente, com os poderosos recursos oferecidos por muitos de seus plugins e temas.

Eventualmente, os neófitos se deparam com perguntas, questões e problemas que muitos antes deles também já se depararam. WordPress tem uma enorme comunidade global de usuários por trás, então, não importa o problema que um usuário esteja enfrentando, há uma boa chance de que alguns outros usuários já o tenham enfrentado e que já exista uma solução disponível para corrigir esse problema ou responder a essa pergunta.

Neste artigo, vamos discutir alguns desses problemas comuns de WordPress e aprender, através de suas soluções, como resolvê-los.

Consumo de memória do WordPress

Quando um site rodando em WordPress cresce em popularidade e pageviews, o consumo de memória é um dos primeiros (se não, o primeiro) problema que os mantenedores do site enfrentam. Se eles estão em uma hospedagem compartilhada ou um VPS, seus webhosts enviarão e-mails sobre o uso de memória e limite alocado. Pelo menos, os bons hosts farão isso; se for um de baixa qualidade, seu site pode apenas cair e você sequer vai ficar sabendo disso a tempo…

Felizmente, existem diversas soluções para esse problema.

O motivo pode ser um plugin ou tema mal feito rodando. Para descobrir, instale o plugin WP-Memory-Usage. Desative todos seus plugins, exceto o WP-Memory-Usage e, em seguida, vá ativando um por um. Observar como vai ficar o uso de memória depois de ativar cada plugin pode ajudar a descobrir qual(is) é(são) o(s) vilão(ões) da história.

Depois dessa verificação inicial, se os temas e plugins estiverem funcionando dentro do esperado, então pode ser uma ótima ideia instalar um plugin de cache, como W3 Total Cacheou WP Super Cache. Se um plugin de cache não reduzir significativamente a memória com as configurações padrão, será preciso uma configuração mais específica, alterando parâmetros tais como compressão, minify de scripts, aumentar o intervalo dos caches, etc.

Leia estes excelentes artigos (em inglês) sobre como otimizar instalações de WordPress:

Sites em WordPress hackados

Outro problema comum de WordPress é descobrir que seu site foi invadido! As chances de tal coisa acontecer em seu site podem ser significativamente reduzidas seguindo algumas dicas práticas de segurança para WordPress.

Existem diferentes tipos de hacks que os usuários do WordPress enfrentam. O mais comum deles é quando um site redireciona para algum outro site com conteúdos ilegais e/ou obscenos, links injetados para outros sites, códigos estranhos em arquivos de temas, etc. Lembre-se de que, na maioria das vezes, é fácil corrigir esses problemas.

  • Mantenha sempre a instalação do WordPress atualizada com a última versão
  • Faça backups regulares de sua instalação e banco de dados WordPress
  • Execute o WP-Security-Scan, um excelente plugin para detectar códigos suspeitos em seus temas, plugins e arquivos principais do wordPress. Se você encontrar algo suspeito em plugins ou temas, apague! Se você encontrar algo suspeito no core do WordPress, substitua por novos!
  • Verifique regularmente seu arquivo .htaccess por mudanças e códigos suspeitos
  • Leia o artigo “My site was hacked” no Codex do WordPress, peça ajuda em fóruns, peça a ajuda do seu provedor de hospedagem para ter certeza que não aconteceu um ataque em todo o servidor.

Perda da senha de admin e/ou e-mail

É realmente surpreendente quantas pessoas instalam o WordPress e esquecem seus nomes de usuário, senha e e-mail utilizados durante a instalação. Existem várias maneiras de recuperar senha e nome de usuário e é importante conhecer algumas delas.

Recuperar senha do WordPress via PHPMyAdmin

Se você tiver acesso ao banco de dados através do phpMyAdmin, vá até lá e encontre a tabela wp_users. Clique na aba “Procurar” e, em seguida, encontre seu user_login. Clique no ícone “Editar”, à esquerda da linha. Agora você vai ver sua senha encriptada; exclua e substitua por qualquer senha que quiser. Haverá um drop-down “Funções” ao lado. Clique sobre ele e selecione “MD5”. Clique em “Executar” e pronto, você atualizou sua senha!

Recuperar senha do WordPress por FTP

Conecte em seu site via FTP, vá em wp-content/themes/SEU_TEMA. Substitua “SEU_TEMA” com o nome do tema ativo em seu site. Edite o arquivo functions.php (se você não tiver um no seu tema, crie). Adicione esta linha:

Substitua “NovaSenha” com qualquer senha que você quiser. O “1” é o para o user_ID – supondo que você é o admin do site e não excluiu o primeiro usuário que criou durante a instalação.

Faça upload do arquivo editado de volta para o servidor. Agora, faça o login usando a senha que você adicionou no functions.php. Uma vez que você tenha conseguido logado, lembre-se de apagar esta linha de seu arquivo de funções.

Escrevendo código em posts e widgets

Para fazer o WordPress mais seguro e proporcionar um ambiente confiável e consistente, por padrão a plataforma não permite que os usuários insiram códigos nos posts, comentários e widgets. No entanto, depois de algum tempo a maioria dos novos usuários se sente confortável o suficiente com o WordPress para querer adicionar funcionalidades diferentes nessas áreas.

Por exemplo, para mostrar os códigos deste artigo, não é possível simplesmente colar o código. Ele seria retirado pelo WordPress e não seria mais legível.

Adicionando código nos posts do WordPress

Codex do WordPress sugere o uso de entidades HTML para escrever código, mas esta é uma forma muito custosa de se fazer isso. Então, se você pretende compartilhar regularmente trechos de código com os visitantes de seu website, então você precisa de algum plugin específico, tal como o Syntax Highlighter Evolved.

O plugin permite escrever código em seus posts e estilizar códigos com shortcodes. É muito fácil de usar, personalizável e suporta várias linguagens incluindo PHP, JavaScript, HTML e CSS.

Adicionando código nos widgets da barra lateral

Também pode haver a necessidade de exibir trechos de códigos em Widgets ou adicionar uma função ou tag em um widget. Para isso, é possível instalar algum plugin, como PHP Code Widget ou Widget Logic.

Conclusão

Certamente, deve haver outras perguntas comuns, questões e problemas que os novos usuários de WordPress muitas vezes se deparam. A primeira coisa a se fazer quando se deparar com qualquer problema com seu site WordPress é pesquisar.

Faça buscas usando diversos termos e você vai ver que muitas pessoas já forneceram soluções para esses problemas de WordPress. Se não, você pode sempre fazer perguntas no Fórum WordPress, IRC e outros fóruns WordPress relacionados.

E você, conhece algum problema comum de WordPress e a solução adequada?


Campus Party 2018 traz fundador da Apple, discussão sobre bitcoin e batalha de drones

A 11ª edição do evento acontece entre 31 de janeiro a 4 de fevereiro, no Anhembi, em São Paulo; Neste ano, 12 mil pessoas acamparão no local.

Campus Party, o maior evento de tecnologia e cultura nerd da América Latina, levará para São Paulo de discussões sobre a tecnologia por trás do bitcoin e sobre como a tecnologia pode fazer a diferença na sala de aula, além de palestras de peso, como a de Steve Wozniak, que fundou a Apple com Steve Jobs. Uma das novidades neste ano para quem visita a área aberta do evento é a batalha de drones, em que os pilotos tentam derrubar as aeronaves dos rivais

A 11ª edição da Campus Party ocorre no Pavilhão de exposições do Anhembi, em São Paulo, entre 31 de janeiro a 4 de fevereiro. Neste ano, 12 mil pessoas acamparão no local.

A expectativa da organização é que o número de visitantes chegue a 100 mil. A capacidade total de conexão, um assunto sensível para campuseiros, será de 40 Gibabits por segundo. Pela primeira vez, haverá áreas com Wi-Fi e monitoramento para evitar ataques hacker.

“Aqui a gente monta a internet de uma cidade inteira em coisa de um dia”, brincou Franceso Farruggia, presidente do Instituto Campus Party.

Francisco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, durante apresentação da programação 2018 (Foto: Helton Simões Gomes/ G1)Francisco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, durante apresentação da programação 2018 (Foto: Helton Simões Gomes/ G1)

Francisco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, durante apresentação da programação 2018 

Bitcoin e Blockchain

Boa parte da programação de oficinas e palestras da Campus Party será dedicada a discutir o bitcoin, a moeda virtual que passou a chamar a atenção do mundo ao se valorizar mais de 1000% em 2017 e chegar próxima da cotação de US$ 20 mil. Só que o objetivo não será analisar se a criptomoeda enfrenta uma bolha especulativa ou não, debate que dominou o mundo financeiro em 2017.

O foco será a “blockchain”, a tecnologia por trás do bitcoin, que funciona como um livro contábil em que todas as transações com a moeda são registradas de forma segura e confiável. Don Tapscott, um dos principais palestrantes desse ano, subirá ao palco para falar sobre isso. Ele é autor do livro “Blockchain Revolution: How the Technology Underlying Bitcoin is Changing Business, Money and the World” (“Revolução Blockchain: Como a Tecnologia Sustentando o Bitcoin está Mudando Negócios, Dinheiro e o Mundo”).

Boné para tirar sono

Alguns dos eventos são levados à Campus Party por patrocinadores, como Petrobras, Visa, TV Globo e Ford. “Vocês poderiam se perguntar por que uma montadora de 115 anos está aqui. E eu poderia passar o dia inteiro falando disso. A gente veio porque aqui é um celeiro de tecnologia e inovação”, afirmou Fernão Silveira, diretor de comunicação para América Latina da Ford, que vai expor um Mustang 5.0 GT, modelo que a empresa começa a importar agora para o Brasil.

A montadora mostrará algumas de suas tecnologias, como seus serviços conectados para carros e até um boné que faz caminhoneiros que estiverem dirigindo ficarem acordados.

Drones, games e educação

Apesar de palestras e workshops serem feitos em uma área de acesso restrito aos campuseiros, há atividades na área aberta da Campus Party.

Em uma arena ocorrerá o campeonato brasileiro de drones, em que pilotos profissionais usam todas suas habilidades para correr mais rápido que os adversários. Lá também os visitantes do evento poderão participar de duelos de drones. Durante eles, a velocidade fica em segundo plano e o objetivo é derrubar a aeronave dos rivais.

Em outro espaço, ocorrerá torneios de games como “Dragon Ball Z”, “Counter Strike”, “Injustice 2”, entre outros.

Outra novidade de 2018 da Campus Party é uma nova área de atuação: a educação. Haverá oficinas de robótica para crianças e adolescentes e batalhas de robôs virtuais.

Simuladores

Também na área aberta, a Campus Party reunirá 8 simuladores, como asa delta a kart, por exemplo. O destaque fica por conta do MotionSphere, um simulador de sensações vivenciadas por pilotos de aviões super-rápidos. Ele é capaz de imitar acelerações, curvas e impactos de até sete vezes a força da gravidade.

Startups e universidade

Outra área a que os visitantes poderão ir e que já esteve presente em outras edições da Campus é a Startup & Makers. Nela, 120 empresas iniciantes de tecnologia mostrarão como funcionam seus negócios, em busca de parcerias e até de investidores.

Já na Campus Future, estudantes universitários expõem protótipos de novas tecnologias criadas a partir de suas pesquisas.


Apache PredictionIO: Aprendizagem de máquina mais fácil com Spark

Um projeto de código aberto agora sob orientação da Apache usa um sistema de modelo para fácil treinamento e implantação de modelos de aprendizado de máquina Spark

A Fundação Apache adicionou um novo projeto de aprendizado de máquina à sua lista, Apache PredictionIO , uma versão aberta de um projeto originalmente desenvolvido por uma subsidiária da Salesforce.

O que PredictionIO faz para a aprendizagem de máquinas e Spark

Apache PredictionIO é construído em cima de Spark e Hadoop, e serve previsões Spark-powered a partir de dados usando  modelos personalizáveispara tarefas comuns. Os aplicativos enviam dados para o servidor de eventos da PredictionIO para treinar um modelo e, em seguida, consulta o motor para previsões com base no modelo.

Spark, MLlib, HBase, Spray e Elasticsearch são fornecidos com o PredictionIO, e o Apache oferece SDKs compatíveis para trabalhar em Java, PHP, Python e Ruby. Os dados podem ser armazenados em uma variedade de back ends: JDBC, Elasticsearch, HBase, HDFS e seus sistemas de arquivos locais são todos suportados fora da caixa. As extremidades traseiras são conectáveis, portanto, um desenvolvedor pode criar um conector back-end personalizado.

Como os modelos PredictionIO tornam mais fácil atender às previsões da Spark

A vantagem mais notável da PredictionIO é o seu sistema de modelos para a criação de mecanismos de aprendizagem de máquinas. Os modelos reduzem o levantamento pesado necessário para configurar o sistema para atender tipos específicos de previsões. Eles descrevem quaisquer dependências de terceiros que possam ser necessárias para o trabalho, como o framework de aplicativos de aprendizado de máquina do  Apache Mahout .

Alguns modelos existentes incluem:

Alguns modelos também se integram com outros produtos de aprendizado de máquinas. Por exemplo, dois dos modelos de previsão atualmente na galeria da PredictionIO, para detecção da taxa de gatilho e recomendações gerais, usam os aprimoramentos de água com espuma H2O.ai  para Spark.

A PredictionIO também pode avaliar automaticamente um mecanismo de predição para determinar os melhores hiperparâmetros para usar com ele. O desenvolvedor precisa escolher e definir métricas sobre como fazer isso, mas geralmente há menos trabalho envolvido em fazer isso que no ajuste de hiperparâmetros à mão.

Ao executar como um serviço, o PredictionIO pode aceitar previsões individualmente ou como um lote . As previsões agrupadas são paralelizadas automaticamente em um cluster Spark, desde que os algoritmos utilizados em um trabalho de predição em lotes sejam todos serializáveis. (Os algoritmos padrão da PredictionIO são.)

Onde fazer o download de PredictionIO

O código-fonte da PredictionIO está disponível no GitHub . Por conveniência, várias imagens do Docker estão disponíveis , bem como um pacote de compilação Heroku .

Esta história, “Apache PredictionIO: Aprendizagem de máquina mais fácil com Spark” foi originalmente publicada pela InfoWorld .